Acesso restritoCONSULTAS SCPC

 

A quarta Revolução Industrial e o novo consumidor do Século XXI *Por Prof. Valdir Barbosa, empreendedor-psicólogo-educad

A Quarta Revolução Industrial é uma expressão que engloba um conjunto de altas tecnologias (high tech) para automação em rede, troca de dados em tempo real (full-time), que utiliza conceitos de Sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas (Internet of Things-IOT) e Computação em Nuvem.

A Quarta Revolução Industrial é um conceito que engloba o termo "Indústria 4.0", que teve origem de um projeto estratégico de alta tecnologia do Governo Alemão, que promoveu a informatização dos processos produtivos da indústria, para aumentar o seu nível de eficiência e competitividade. No Brasil usa-se o termo “Manufatura Avançada”.

Contextualizando as Revoluções Industriais:

A primeira revolução industrial mobilizou a mecanização da produção, usando energia hidráulica e a vapor. A segunda revolução industrial introduziu a produção em massa com a implantação da linha de montagem, utilizando a energia elétrica. Com o advento do computador e a eletromecânica, implantou-se a automação com sistemas CLP, assim, veio à terceira Revolução Industrial.

Em seguida veio à revolução digital e o uso de aparelhos e dispositivos eletrônicos, bem como a Tecnologia da Informação-TI para automatizar em rede todo o processo produtivo, caracterizando assim, a Quarta Revolução Industrial. Neste contexto tecnológico se implantou sistemas ciber-físicos, ou seja, onde sistemas cibernéticos ficam atrelados a ambientes físicos da indústria (o chão de fábrica), resultando em fábricas Inteligentes com capacidade e autonomia para agendar manutenções, prever falhas nos processos, que se conectam e se comunicarem entre si através das tecnologias, Internet das Coisas-IOT e da Computação em Nuvem.

Conforme a evolução das altas tecnologias (high tech), a tendência é que em um futuro próximo as fábricas se adequem ao conceito da Quarta Revolução Industrial com aplicação do mote da indústria 4.0, tornando-se altamente autônomas e eficientes.

Um dos maiores impactos causados pela Quarta Revolução Industrial será uma mudança de paradigma que afetará o mercado na sua produção e distribuição, como também na mudança de modelo mental “mind set” com a criação de novos modelos de gestão e negócios. Em um mercado cada vez mais exigente, as fábricas inteligentes serão capazes de personalizar seus produtos, adaptando às preferências dos clientes.

Neste cenário contemporâneo globalizado regido e orquestrado pelas mídias digitais de altas tecnologia (high tech) se idealizou um novo perfil (briefing) de comportamento e consumo dos clientes e consumidores: O “Neoconsumidor”, ou seja, O Novo Consumidor, ancorado e balizado pela tríade: "Digital-Multicanal-Global".

Essa tendência traçou novas posturas e características do "consumidor multicanal", tendo múltiplas possibilidades e facilidades de acessos para pesquisar e comprar serviços e produtos oferecidos na “Web” pelas empresas. Diante deste novo contexto informacional, o "Neo-consumidor multicanal" ficou mais exigente e ativo, sentindo “empoderado” com maior poder de barganha e autonomia.

Diante deste novo cenário tecnológico informacional globalizado, é emergente e fundamental o investimento em canais de comunicação e Treinamentos em Gestão de Clientes, para assim surfar nesta nova onda da Quarta Revolução Industrial.

Portanto, navegar é preciso! Mas, não podemos perder a ternura jamais!

“Perder la ternura jamás...” (Che Guevara)

Por Prof. Valdir Barbosa, empreendedor-psicólogo-educador

 


<< Voltar


CURSOS E EVENTOS


Veja todos

  • CDC

PARCEIROS