Acesso restritoCONSULTAS BOA VISTA SCPC

 

Levantamento da ACE Ourinhos indica queda de até 80% nas vendas do comércio com lockdown

Levantamento da ACE Ourinhos indica queda de até 80% nas vendas do comércio com lockdown

 

Pesquisa informal ouviu cerca de 80 empresas fechadas; previsão é de demissões a partir de fevereiro se não houver mudança de faixa

 

 

O fechamento de todas as atividades não consideradas comércio essencial em Ourinhos, primeiro por decreto municipal e depois pelo decreto do Estado, começa a gerar prejuízo financeiro para as empresas que dependem de suas portas abertas para faturar. Por iniciativa da Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos (ACE), cerca de 80 empresários que se encontram 100% fechados foram ouvidos em levantamento ainda informal. “Precisamos monitorar essa situação que já sabemos será danosa para a economia do município como um todo”, informou Robson Martuchi, presidente da ACE.

 

De acordo com a pesquisa da ACE, é senso comum que a queda no faturamento diário desde a quarta-feira passada, 13, quando se iniciou o lockdown pelo decreto do prefeito Lucas Pocay, varia entre 70 e 80%. Segundo o gerente da ACE, Gilvano Silva, que coordenou o levantamento, além do prejuízo financeiro aos empresários, o que está gerando grande preocupação é a situação indefinida dos funcionários. "Há um hiato nessa questão pela falta de normativa que regulamente a situação dos trabalhadores, ficando empregadores e empregados sem saber como agir", disse.

 

Boa parte das empresas, conforme o levantamento da ACE, manteve seus colaboradores cumprindo expediente até a sexta-feira mesmo fechados para o público, mas a partir desta semana os empresários afirmam não saber como proceder. “Quarta-feira haverá nova avaliação da prefeitura sobre a continuidade do lockdown. Embora o governador João Dória também tenha colocado Ourinhos na faixa vermelha, caberá ao nosso prefeito manter ou recuar Ourinhos para a faixa laranja ou amarela. Da mesma forma que decretou faixa vermelha, caso entenda ser viável, ele tem autoridade para nos colocar pelo menos na faixa laranja”, ponderou o presidente da ACE, Robson Martuchi.

 

Sabendo que essa decisão passará pelo comitê gestor da Covid-19 local que embasa o prefeito em suas decisões, a ACE reivindica a participação de entidades representantes do setor. Foram protocolados nesta segunda-feira, 18, ofícios a todos os órgãos integrantes do comitê para que apoiem a inclusão do Sincomércio (sindicato patronal), do Sincomerciários (sindicato dos empregados) e da Associação Comercial e Empresarial. “Não é só a saúde que está sendo afetada com a pandemia, é justo que os setores mais afetados com as medidas governamentais sejam também ouvidos, até pela força que o comércio tem para colaborar nesse enfrentamento”, acredita Martuchi.

 

Outro dado revelado pelo levantamento realizado pela ACE Ourinhos é que, caso o lockdown se prolongue até o final do mês, empresários acreditam que não conseguirão evitar demissões. “Precisamos de um ponto de convergência nisso tudo para evitarmos transtornos maiores para milhares de trabalhadores e famílias ourinhenses”, finalizou Martuchi.

 

 

tags: #vendasbaixas #lockdown #covid19 #medidasprotetivas


<< Voltar


CURSOS E EVENTOS


Veja todos

PARCEIROS